quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Parvovirose canina: proteja seu cachorro da doença

Os animais infectados apresentam diarreia com jatos de sangue, desidratação e vômito, podendo chegar à óbito em poucos dias

Donos de cães jovens e filhotes devem manter a atenção redobrada com a vacinação de seus animais. Isso porque como seu sistema imunológico ainda não está 100% desenvolvido, eles ficam ainda mais susceptíveis a contrair doenças, muitas delas, fatais. Uma das viroses mais contagiosas é a parvovirose canina, que ataca principalmente o sistema digestivo dos peludos.

De acordo com o dr. Mário Marcondes, diretor clínico do Hospital Veterinário Sena Madureira, o contágio acontece quando o cão entra em contato com as fezes de animais contaminados, podendo levá-lo, inclusive, à óbito em poucos dias. “O animal apresenta um quadro grave de vômito, desidratação e diarreia, muitas vezes, com sangue e em jatos”.

Segundo o veterinário, para tratar a doença é recomendada a fluidoterapia para controlar a desidratação e corrigir o Ph sanguíneo, sendo necessária a internação do animal em uma unidade de terapia intensiva (UTI). É indicado ainda o uso de medicação para cessar o vômito e proteger a mucosa intestinal.

Uma vez curado o cãozinho volta a ganhar peso e não apresenta sequelas, sendo a vacinação a única forma de prevenção do problema. Recomenda-se que o filhote receba a primeira dose da vacina contra a parvovirose canina 15 dias após o desmame. A dose precisa ser repetida mais duas vezes, depois de 30 e 45 dias, além de anualmente após adulto.

Vale lembrar que o vírus da doença é extremamente resistente, podendo permanecer no ambiente por até um ano, portanto, tanto a vacinação do animal recuperado quanto a desinfecção da residência são recomendados. Caso o pet venha a óbito não é recomendado que o dono adquira um filhote ou cachorro jovem até que a casa esteja totalmente livre do vírus.

Crédito UOL Bichos
Bjao
Ale

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Cães e direção: os perigos de dirigir com o totó no colo

Seguradora de saúde animal adverte que apenas 20% dos donos utilizam alguma forma de proteção para seus pets durante passeios de carro



Os cachorros, de modo geral, adoram passear, principalmente, quando saem de carro com seus donos. O vento que bate na pelagem é excitante para os animais, não é à toa que é tão comum ver os totós encostados na janela com uma carinha de felicidade. Mas apesar de divertido, dirigir com os cães também pode ser perigoso, sobretudo se ele insistir em ficar no colo durante a viagem.

De acordo com seguradora de saúde animal VPI Pet Insurance, tem se tornado cada vez mais comuns acidentes causados por bichos de estimação no trânsito. Para piorar a situação, nesses casos, tanto o dono quanto o bichinho acabam seriamente machucados. Estima-se que apenas 20% das pessoas utilizem cinto de segurança ou assento específico para pets, o que aumenta ainda mais as chances de um acidente de carro.

Confira a seguir as principais ameaças que podem surgir ao longo de uma viagem de automóvel e algumas dicas de segurança dadas pela veterinária Debra Primovic.

Fraturas – Muitos cães são tão agitados que não se contentam em observar a paisagem e acabam pulando da janela quando o carro está em movimento. Nesses casos os cães podem sofrer fraturas graves, além de correrem o risco de serem atropelados por outros automóveis. Portanto, mesmo que seu pet não tenha o costume de ser espoleta, não facilite a situação e o prenda com um cinto de segurança específico ou o transporte dentro de uma caixa apropriada.

Problemas oculares – Alguns cães têm o costume de colocar a cabeça para fora da janela com o carro em movimento. Isso, além de ser perigoso, já que um outro automóvel ou moto pode bater no animal, sujeiras e ciscos podem entrar nos olhos do bichinho, causando inflamações e até úlceras oculares.

Airbags – Caso ocorra uma freada brusca, os airbags são os responsáveis por evitar que os seres humanos se machuquem no painel, porém, o mesmo não ocorre com os pets. O dispositivo pode causar sérios danos aos cães. É por isso que já existem assentos exclusivos para os totós, que devem ser adaptados no banco de trás.

Distrações – Os cães distraem os motoristas, por mais quietinhos e comportados que eles sejam. Se forem agitados, provavelmente, pularão do banco da frente para o de trás a todo momento. Alguns animais, inclusive, gostam de ficar junto às pernas do dono, ou debaixo do banco, prejudicando a movimentação dos pedais. Já os mais quietinhos podem deixar os donos intrigados e curiosos, fazendo-os olhar a todo instante no banco de trás para saber o que o pet está fazendo.

Crédito -UOL Bichos

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Crocodilo "clandestino" causou queda de avião na República Democrática do Congo, diz jornal



A queda de um avião no último dia 25 de agosto aconteceu depois que um crocodilo, que estava sendo transportado, escapou durante o voo, espalhando pânico entre tripulantes e passageiros na República Democrática do Congo. As informações são do site do jornal inglês "Telegraph". O piloto e outras 19 pessoas morreram no acidente.

O acidente aconteceu quando o avião voava da capital, Kinshasa, para o aeroporto regional de Bandundu. Aparentemente, o único sobrevivente foi quem relatou o motivo da queda a investigadores, afirma o "Telegraph". Na época, causou estranhamento a queda do avião sem problemas mecânicos aparentes.

O crocodilo --transportado clandestinamente por um passageiro-- estaria escondido em uma bolsa esportiva. O dono do animal pretendia vendê-lo. De acordo com um relatório da investigação, uma das aeromoças, aterrorizada, teria corrido em direção à cabine do avião, seguido pelos passageiros. O avião então teria ficado sobrecarregado de um lado, apesar dos "esforços desesperados" do piloto de impedir a concentração de pessoas.

O avião bateu contra uma casa, que estava vazia, distante apenas algumas centenas de pés do aeroporto. A aeronave era um L-410 Turbolet, de produção tcheca.

Outra queda de avião
Outro avião caiu na República Democrática do Congo nessa quinta-feira. Duas pessoas morreram na queda de um pequeno avião em uma reserva de gorilas no leste da República Democrática do Congo. As informações são do site do jornal "The Washington Post".

O ministro dos Transportes, Laban Kashande, disse que o avião caiu no parque nacional Kahuzi-Biega, lar de gorilas das planícies orientais em risco de extinção.

As vítimas foram o piloto filipino e seu copiloto congolês. A Rádio da ONU afirmou não haver sobreviventes.

Kashande disse que o avião pertencia a uma linha aérea local chamada Starec Congo e carregava 1,5 tonelada em mercadorias.

A causa do acidente ainda está sendo investigada.

*Com informações do Telegraph e do The Washington Post

Bjao a todos
Ale

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Cadela faz lifting facial para recuperar a visão

Molly tinha as pálpebras muito caídas e poderia ficar cega se não fizesse uma cirurgia plástica


Os cães da raça Shar Pei são famosos por suas diversas dobrinhas pelo corpo. Infelizmente, alguns criadores cruzam os bichos em busca de filhotes cada vez mais enrugados, o que em muitos casos, geram pets com sérios problemas de saúde.

Esse foi o caso de Molly, que sofreu durante um ano de entrópio antes de ser comprada. O problema é caracterizado pela pálpebra virada para dentro, ferindo os olhos do animal. Muito ferida, a cadelinha precisou ser submetida a um procedimento cirúrgico para corrigir o problema.

De acordo com o jornal Daily Mail a cadela de um ano nunca havia enxergado antes do lifting facial. Apesar de ser um procedimento extremo, sem a intervenção, ela ficaria cega permanentemente. Em entrevista à publicação, Louise Walsh, dona do animal, contou que a cadela dormia o dia todo, porque o problema machucava demais seus olhos.


A vida normal de Molly foi reestabelecida pelas mãos do veterinário Richard Marks, que retirou parte da pálpebra do animal e puxou a pele para trás de sua cabeça, em um procedimento conhecido como lifting facial. A cirurgia é realizada geralmente por pessoas que desejam retirar rugas do rosto afim de parecerem mais jovens.

O caso de Molly foi tão sério que o veterinário contou nunca ter visto algo parecido. “Ela é resultado de um cruzamento de cães que eram essencialmente doentes”, lamentou. Ele disse ainda que a cadela foi gerada para satisfazer um certo critério do que os criadores consideram ser bonito, sem levar em conta sua saúde.

Indignada com o descaso dos criadores que lhe venderam um animal doente, Louise Walsh prometeu processar os criminosos. “Estou com muita raiva. Não é por causa do dinheiro que paguei por ela, mas por eles terem sido desonestos”.

A britânica pagou 500 libras pela cadela e mais 720 libras pela cirurgia para corrigir o problema ocular da pequena. “Como eles (os criadores) puderam deixar Molly sofrendo por quase um ano dessa forma?”, lamentou.

Crédito UOL Bichos

Fico feliz quando vejo um dono consciênte!!!
Bjao
Ale

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Dica do dia!!!


Aperte quem vc gosta
Esqueça os cumprimentos formais.
Ao encontrar seus filhos, grandes amigos, amores da sua vida ou se despedir delels, dê um abarço. Forte mesmo!
Bom dia a todos!!!
ale Cristini

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Oi Petnautas volteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei rs...

Bom dia queridos,


Andei sumia né eu sei rs....foi tudo culpa da Feira Pet South que aconteçeu dias 6,7 e 8 de outubro na Expo Center Norte.
Quer saber mais sobre a feira clique no link abaixo!!!

http://www.vimeo.com/15947567

Otimo dia pra todos!!!
Bjao
Ale

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Macacos trabalham na India

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Lição do direito dos gatos!!!


Levante seus pés ao entrar num aposento. Rabo pisado dói pra caramba.
§ Nos inclua na pizza com os amigos ou nós vamos sentar na tampa das pizzas e você não vai comer
nenhuma.
§ Não se esqueça que nós amamos você.
§ Não se esqueça de nos carregar para a cama. Para que andar se existe colo?
§ Não nos tranque num quarto, nós conseguimos arranhar a porta por mais tempo do que você consegue
nos ignorar.
§ Merecemos uma recompensa por nos comportarmos bem até todo mundo ter ido para casa.
§ Não nos tire de nossos esconderijos para nos apresentar a seus amigos. Se nós quiséssemos
conhecê-los não estaríamos escondidos, certo.
§ Tenha certeza que quando formos convidados a conhecer seus amigos nós vamos dar nossa opinião
*sincera* sobre eles. Não fique vermelho e se desculpando. Você começou.
§ Não esvazie o cesto de roupa limpa com a gente dentro... Sonecas são sagradas... Especialmente na roupa limpa. E você sempre pode lavá-la de novo.
§ Entenda que escolhemos você porque sabíamos que você iria nos alimentar e amar...
§ Fale conosco como adultos... Não somos bebês, somos gatos, e pelo amor de Deus, fale naturalmente
e não como o Mickey Mouse no cio!
§ Não brinque mais com um de nós do que com os outros... Ou suas pernas vão acabar cheias de listras
vermelhas.
§ O gatinho velho tem direito à primeira lambida na tigela de sorvete... E não o filhotinho bonitinho
que chegou ontem.
§ Não fique de pé para comer. Muitos de nós não conseguem pular a essa altura.
§ Ofereça seu leite para nós... Ou ele vai acabar no seu colo.
§ Limpe os lugares ensolarados primeiro. Como é que você quer que a gente durma lá?
§ Não se levante da mesa e deixe um prato de galinha sozinho... Você é muito bobo se pensa que ela
vai ficar muito tempo ali. E não corra atrás de nós berrando "SEU
BANDIDO!!!"... Foi *você* quem pôs a tentação no nosso caminho.
§ Não nos enrole nos cobertores e role de rir... Isso cansa a beleza de qualquer um.
§ Avise-nos antes de fazer a cama, para termos tempo de sair de baixo das cobertas.
§ Não monopolize o travesseiro. Divida-o conosco enquanto a gente não rouba ele de vez.
§ Não tente dormir no meio da cama. Fique com a sua beirada.
§ Por favor, leia o contrato de novo, especialmente aquela parte a respeito de bife e atum...
Alguns de vocês não estão cumprindo a sua parte.




Boa tarde para todos!

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Proteja seu pet de acidentes domésticos

Fique por dentro das dicas para evitar que cães e gatos comam objetos indesejados dentro de casa


Dar brinquedos apropriados para os animais evitam possíveis acidentes
Crédito: Flickr/ CC - TheGiantVermin

Diante dos inúmeros casos de cães e gatos que comem corpos estranhos como brinquedos, sapatos, entre outros, o Kennel Clube Americano e a Associação Internacional de Felinos elaboraram algumas dicas para evitar os acidentes. Confira!

1. Você, com certeza, vai evitar uma indesejável consulta ao veterinário se investir em uma casa à prova de acidentes. Isso inclui não deixar latas de lixo, roupas, sapatos e brinquedos ao alcance dos bichos. Uma atenção redobrada deve ser tomada com enfeites em cima de estantes e mesas, principalmente para os que têm gatos, que conseguem subir facilmente em locais mais altos.

2. Providencie alternativas para seus pets. Se você der a eles seus próprios brinquedos para morder, fios elétricos, meias, dentre outros, deixarão de ser tão apreciados. Apenas cuide para que os brinquedos sejam de um tamanho suficiente para que não possam ser engolidos acidentalmente.

3. Brinquedos coloridos, que fazem barulho e que permitem que o dono possa esconder algum petisco dentro são os que mais fazem sucesso com os cães exigentes. Caso os brinquedos não sejam muito atrativos, procure oferecer pedaços de couro de boi ou ossos vendidos em pet shops, específicos para cães. No caso de gatos, brinquedos com catnip dentro costumam entreter os bichanos por bastante tempo.

4. Supervisione seus animais. Mesmo com todos os cuidados, acidentes podem acontecer, e estar atento é fundamental para tomar uma atitude rápida caso precise salvar o bichinho de algum problema.

5. Pratique exercícios regulares com seus pets. Procure agendar diariamente um horário para interagir com o bichinho, assim ele gastará mais energia e dificilmente vai procurar morder ou engolir objetos indesejados. Isso porque esse comportamento é típico de animais entediados.
Cr´dito -Uol Bichos
Otimo dia todos
Bjao
Ale Cristini

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Bichos são melhores ouvintes que os homens

Pesquisa realizada na Nova Zelândia revela que as mulheres preferem conversar com seus cães e gatos

A constante insatisfação das mulheres quanto a falta de atenção de seus maridos acaba de render um estudo na Nova Zelândia. Questionadas se seus cães são melhores ouvintes que seus maridos, 31% das neozelandesas responderam que sim.

O estudo foi feito pela Nestlé Purina, que também ouviu os homens do país. No caso deles, 14% admitiram que seu amigo de quatro patas demonstra mais carinho que suas esposas.

Após ouvir cerca de 250 donos de cachorros e outros 250 de gatos o estudo concluiu que quase 50% das donas de gatos preferem dividir seus problemas com eles. E para comprovar o novo posto de “membros da família”, a pesquisa revelou ainda que 50% dos entrevistados se consideram pai ou mãe de seu bichinho de estimação

Crédito -Pet Mag

É isso ai, os homens estão perdendo campo até para os animais rs... eles que se cuidem!!!
AleCrsitini

‎"Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor." (Pitágoras)

sábado, 21 de agosto de 2010

Olá Ale Cristini.
Estou lhe contatando por indicação do Murilo, que trabalha no Jornal Primeiramão, junto comigo.Tive meu casal de gatinhos com 4 meses envenenados pelo meu vizinho de chácara no Interior de SP.Triste não? Pois é...!Fiz o B.O junto a Delegacia de Policia, tirei fotos, filmei, pois os encontrei mortos no quintal dele, e também requisitei a necrópsia dos animais (laudo), que ficará pronta no final deste mês, porém em contato com o laboratório, fui informada que se trata de chumbinho.
Gostaria de saber se você pode me ajudar, ou me indicar quem possa fazer uma
reportagem sobre esta brutalidade e covardia, pois não só eu, como outros moradores, já tiveram seus animais mortos por envenenamento, pelo mesmo cidadão.
O que realmente gostaríamos, é que este cidadão tome uma prensa, ou melhor um susto e pare de bancar o Serial Killer de Animais, e assim evitarmos mais mortes e tristeza em nosso bairro.
Aguardo sua resposta e desde já agradeço a atenção dispensada.
Cordialmente Elisabete.

Absurdo este caso - Pet na Net vai até lá resolver este assunto urgente.
Esta marcado para dia 4 de sentembor -acompanhem e lembres-se DENUNCIE!!!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Nutrição canina: mitos e verdades

Vida longa e saudável dos cachorros depende de uma alimentação com todas as necessidades nutricionais supridas


Para dar alimentos extras aos cães, como pedaços de carne, é preciso a orientação de um veterinário
Crédito: Flickr/ CC – eschipul

Assim como os humanos, nossos fieis amigos caninos também precisam de uma alimentação balanceada para terem uma vida longa e saudável. Muitas vezes, o dono acaba tendo dúvidas quanto aos alimentos que são oferecidos aos aos bichos, como se a comida não vai lhes causar mal, se a ração atende todas às necessidades nutricionais, entre outras.

No entanto, graças a um estudo realizado durante 14 anos, publicado no Journal of American Veterinary Medical Association, vários mitos sobre a nutrição canina foram desfeitos. Depois de avaliar a alimentação de 48 pares de Labradores, os resultados sugeriram que uma diminuição de 25% dos alimentos consumidos por cães, ou manutenção da condição corporal ideal durante toda a vida deles, aumentou a expectativa de vida média dos animais em 1,8 anos e retardou o surgimento de doenças crônicas.

Já a saúde de um cão idoso, por exemplo, vai depender da quantidade de água e nutrientes que ele ingerir, como proteína, gordura, carboidratos, vitaminas e minerais. As informações são do site americano ZooToo.com, que entrevistou Michael Grant, especialista em nutrição para pets e diretor de ciência nutricional do SeniorPetProducts.com

Grant falou ainda que as rações costumam suprir as necessidades dos pets, e ainda podem ajudar na prevenção de doenças relacionadas à idade, incluindo artrite, doenças cardiovasculares e crônicas. “Saber como alimentar e em qual proporção são igualmente importantes”, disse Grant. “O veterinário é sempre o mais indicado para dar a informação correta”, completou.

Crédito -UOL Bichos
Ale Cristini

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Gatinho nasce com quatro orelhas

Apesar de raro, o caso de Luntik não é o único, já que um bichano nos Estados Unidos tem a mesma característica


Apesar do par extra de orelhas, o gatinho não escuta com elas
Crédito: Reprodução / Daily Mail

Luntik é um filhote de três meses muito especial. Ele vive em uma garagem, em Vladivostok, Rússia, e nasceu com um par extra de orelhas. Segundo informações do site do jornal Daily Mail, apesar da curiosa característica, o bichano não desenvolveu outros dois ouvidos, ou seja, as orelhas não têm função.


Gatinho russo é o segundo caso no mundo com a curiosa característica
Crédito: Reprodução / Daily Mail

A publicação revelou ainda que o caso de Luntik não é exclusivo. Yoda, um gato que vive em Chicago, Estados Unidos, também nasceu com duas orelhas, mas elas são ainda maiores.

Créditos - Uol Bichos

Muito bonitinho , 4 orelhas é demais ainda bem que não ouve por todas senão facria maluquinho ne rs...
Bjao a todos
Ale

sábado, 7 de agosto de 2010

Hoje no Pet na Net - dicas de adestramento com Marcelo Marin


Seu cachorro não obedece, roe móveis, roupas, sapatos, late pra qualquer coisa que apareça????
Tudo isso é falta de disciplina, o adestramento aumenta a auto-estima do cachorro e estreita os laços de amizade com seus donos.
Tire suas dúvidas quanto ao vários tipos de adestramento como fazer e porque.
NÃO VAI PERDER!!!
HOJE AS 11;00 SÓ NA WWW.ALLTV.COM.BR

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Mônica Bergamo: Donos suspeitam de veneno no parque Ibirapuera após morte de cães

Um cachorro morreu envenenado no mês passado após a dona do animal levá-lo ao parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo. A informação é da coluna Mônica Bergamo publicada na edição desta quinta-feira da Folha (a íntegra da coluna está disponível para assinantes do jornal e do UOL).

A estudante Tammy Romero diz que a poodle, de 13 anos, começou a passar mal um dia depois do passeio. "Exames indicam que ela ingeriu veneno de rato misturado com caldo de carne", diz. Tammy afirma ter ouvido falar de cinco casos parecidos.

O parque Ibirapuera diz que "o trabalho de controle de roedores é feito pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ)" e que o procedimento, feito pela última vez em janeiro, não coloca em risco a saúde dos animais. Diz também que "o CCZ não utiliza tempero de caldo de carne em seus procedimentos".

É duro saber até onde vai a maldade das pessoas.
Meus pesames a Mônica que perdeu uma amiga de longa data!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Bêbado invade zoo, senta em crocodilo e é mordido na Austrália


O bêbado sobreviveu a mordida de crocodilo de um zoológico australiano após decidir, sob efeitos do álcool, entrar na jaula do réptil e sentar-se sobre o animal

Um homem sobreviveu a uma agressão de um crocodilo em um zoológico da Austrália após decidir, sob efeitos do álcool, entrar na jaula do réptil e sentar-se sobre ele, informou nesta terça-feira a imprensa local.

O homem, de 36 anos, foi expulso de um bar devido a seu estado de embriaguez, e depois se dirigiu ao Broome Crocodile Park, no noroeste do país, onde, após saltar uma cerca com arame farpado, se sentou sobre um crocodilo de água salgada, que mede cinco metros, pois "queria acariciá-lo".

Segundo a Polícia, o réptil reagiu mordendo o homem na perna, e depois o soltou. Aproveitando o vacilo, o invasor deixou a jaula.

"Teve muita sorte de sair vivo. Estes crocodilos são conhecidos pelo fato de não deixarem ninguém escapar quando mordem", disse o sargento Roger Haynes à rádio ABC.

Após o ataque, o homem, um turista do leste do país cuja identidade não foi divulgada, foi levado a um hospital, onde passou por uma cirurgia.

Os crocodilos de água salgada são os maiores répteis do mundo, e podem medir até sete metros.

Aff!! Tem doido pra tudo rs....
Bjao
Ale

terça-feira, 13 de julho de 2010

Pit Bull deficiente atua como cão terapeuta

Cody é o primeiro de sua raça a ser certificado profissionalmente como um cão terapeuta


Cody tornou-se o primeiro cão da raça a ser certificado como terapeuta
Crédito: Reprodução/PeoplePets.com

Quando o Pit Bull Cody, de dois anos, era apenas um filhote foi diagnosticado com uma deformidade congênita, chamada “síndrome da garra de lagosta”. Abandonado em um abrigo, ele foi resgatado pelo centro de proteção de Pit Bulls Even Chance, em San Diego, que pagou por uma cirurgia para ajudar a corrigir a deficiência do cão.

De acordo com o site People Pets, após a cirurgia, Cody vive feliz em seu novo lar, com a americana Barbara Sulier. “Eu sou uma daquelas pessoas que sente que os animais de estimação me escolhem mais do que eu os escolho”. Ela contou que ainda que viu a foto de Cody no site do Even Chance e tinha medo de que as pessoas rejeitassem o bichinho por ele não ser “normal”.

Grato por ter sido resgatado, Cody está retribuindo o favor atuando como um cão de terapia - o primeiro de sua raça a ser certificado para a função. Todas as semanas, Barbara e Cody vão até a casa de repouso para idosos Jewish Home, em sua cidade natal, em Los Angeles. Eles visitam os internos desde que o cachorro foi certificado, em maio. “Pitties são doces, fiéis e são tão leais que farão qualquer coisa que você pedir para eles. As pessoas precisam ver como são cães extremamente amorosos”, disse Barbara ao site.

Em entrevista à publicação, Barbara acha que Cody tem uma conexão pessoal com os idosos que visita no Jewish Home. “Ele foi muito especial desde que eu o adotei. Por alguma razão, no fundo do meu coração, eu sabia que deveria ter Cody”, finalizou a dona amorosa.

Crédito - UOL Bichos
Bjao
Ale

Gato “ladrão” é denunciado pelos próprios donos

Polícia britânica foi avisada que um esperto bichano é o responsável pelo sumiço de roupas íntimas da vizinhança



Os donos de um esperto bichano tiveram que tomar uma providência extrema após o pet chegar em casa novamente com peças íntimas furtadas. De acordo com o site do jornal Metro, Oscar foi adotado no último Natal pelo casal Peter and Birgitt Weismantel, no Reino Unido, e desde então, criou o hábito de afanar do varal alheio roupas da vizinhança. Segundo o casal, já foram mais de 70 ítens, entre luvas, meias e até calças infantis. Antes que as pessoas começassem a desconfiar da presença de um ladrão pervertido no bairro, os britânicos resolveram “denunciar” o bichano à polícia, que já está avisada sobre o hábito curioso do gatinho.

Crédito -Pet Mag

Eu tenho uma gatinha Melzinha) que adora roubar roupas, mas ela acaba comendo algusnpedaços tbem.
Ja conversei com todo mundo que sabe sobre gatos e eles tbem ficaram admirados.
Eu acredito que isso é um problema comportamental sério, falta lgo para esse animalzinho, ainda vou descobrir.
Mas não deixa de ser engraçado rs...
BJao
Ale

Pet na Net


http://www.vimeo.com/13279341

Pet na Net - 10/07/2010

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Meu gordinho agora tá no Youtube rs...

http://www.youtube.com/watch?v=RdC53bubnE0

Clica lá
bjao
Ale

Crocodilo de 3 metros é capturado em Frankfurt

BERLIM - A polícia alemã capturou um crocodilo de três metros de comprimento, chamado Ali, após o réptil de 65 anos escapar em Frankfurt.

Segundo a polícia, um motorista se assustou ao ver o crocodilo parado na beira da pista. Ali estava em Frankfurt para participar de uma mostra sobre répteis, mas fugiu de seu contêiner.

"Evidentemente o contêiner não estava fechado de maneira adequada e por isso Ali teve a chance de explorar a cidade por si próprio", disse a polícia.
Crédito -Reuters

Kkkk adorei o comentário do policial.
Bjao
Ale

domingo, 11 de julho de 2010

sexta-feira, 9 de julho de 2010

MassoPet atende em domicílio nos EUA

Tratamento é destinado para animais que sofrem de tensão muscular e condições relacionadas à idade


Massagista diz que já viu vários cães sorrirem durante sessão
Crédito: Reprodução/SFGate.com

Depois que os animais de estimação finalmente conquistaram um lugarzinho como membro das famílias brasileiras, o mercado pet tem investido em serviços cada vez mais exclusivos para eles, como hotéis, spas e até mesmo padarias. A nova investida do setor são os massoterapeutas, que cuidam, principalmente, dos problemas musculares dos bichinhos.

A novidade também contagiou os pets nos Estados Unidos, por meio do trabalho da especialista Shelah Barr, que trata animais feridos e velhinhos todos os dias, em domicílio. Ela vive no distrito de Castro, em São Francisco, EUA, com seu cachorro, Bunny, uma mistura de shih-tzu com poodle.

Shelah é uma terapeuta licenciada em massagem, que trabalha exclusivamente com pequenos animais. Ela trata gatos, furões e até chinchilas, muito embora 98% dos seus clientes sejam caninos.

De acordo com o site SFGate.com, Shelah diz saber quando o cão está desfrutando de sua massagem. “Eu vejo um monte de cachorros sorrindo. É engraçado ver, mas é definitivamente um sorriso. Eles abanam o rabo, gemem, rolam e saltam para me beijar. Na maioria das vezes eles simplesmente adormecem”.

A americana atende seus clientes em suas próprias casas e gosta que o dono esteja por perto. A maioria dos tratamentos são para tensão muscular e condições relacionadas à idade, como displasia e artrite. “A massagem não irá reverter o processo de envelhecimento, mas o que posso fazer é retardá-lo e ajudar a manter seu pet ativo por um longo período de tempo. Isso os faz sentir melhor”, disse Shelah ao site.

A americana disse ainda que a decisão de trabalhar com cães não foi consciente, mas foi feita pelos animais. “Eu passei por uma fase onde os cachorros caminhavam até mim na rua, nas lojas, em todos os lugares que eu ia. Ao acariciá-los, eu podia sentir que tinham feridas ou tiveram algum problema”.

Foi então que ela resolveu voltar à escola e estudar sobre a anatomia de pequenos animais, fisiologia, cinesiologia e comportamento. “Eu não tinha ideia de que os cães têm uma linguagem e os seus próprios protocolos de comportamento”, disse Shelah.

De acordo com o site, por meio da massagem os cães podem recuperar a amplitude de seus movimentos. “Eu trabalhei em um animal por meia hora, fiz uma massagem de corpo inteiro e um pouco nos pés. Ele se levantou quando havia terminado, correu pelo quarto e deitou-se em um canto e mastigou um osso. Então, sua dona disse que ele não fazia isso há meses, não conseguia segurar nada em suas patas”, finalizou a massagista, orgulhosa.

Créditos:BBC - Brasil

Muito bom, massagem e sempre bem vinda não é pessoal!?
Principalmente depois de uma longa caminhada, e os animais precisam de exercícios diários e muito deles ja são idoso e sofre de algum tipo de dor...a massagem é um bom caminho pra melhorar isso.
Bjao
Ale

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Os avanços da odontologia animal

Para garantir a saúde bucal dos pets, a medicina veterinária tem utilizado equipamentos e técnicas semelhantes aos de seres humanos



Os cuidados para a manutenção da saúde bucal são tão importantes que nem mesmo os animais de estimação escapam. Isso porque complicações com a mastigação, a falta de dentes saudáveis e dos tecidos que os envolvem podem comprometer o bem-estar de cães e gatos.

De acordo com a Associação Brasileira de Odontologia Veterinária (ABOV), 85% dos pets adultos apresentam algum problema dentário. E para tentar reverter o quadro, a odontologia em animais de estimação tem se modernizado cada vez mais, utilizando equipamentos e técnicas semelhantes aos de seres humanos.

A recuperação da estrutura dentária por meio de implantes, por exemplo, é uma das novidades da área, principalmente, nos casos de fraturas e perdas da coroa. Nesse sentido, a prótese metálica, metalocerâmica e resinas são as mais utilizadas.

No Brasil, as cirurgias de colocação de próteses dentárias ainda não são muito comuns. O médico veterinário Hebert Lima Corrêa, do Centro Odontológico Veterinário, explica que as pessoas ainda não estão informadas sobre essa possibilidade e também há poucos profissionais credenciados. “Poucos especialistas conhecem e dominam a técnica para indicação e colocação de implantes”.

Prevenindo problemas bucais
Para o dr. Hebert, os problemas bucais são uma questão cultural, e que muitos colegas de profissão não orientam os donos sobre a saúde odontológica de seus animais. “É muito comum ouvirmos de alguns veterinários a frase: ‘deixa juntar mais tártaro para depois fazermos a limpeza’”.


É importante prevenir as doenças orais em seu cãozinho
Crédito: Flickr/CC - SearchNetMedia

Já para o veterinário Marco Antônio Gioso, professor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ-USP), é preciso que os próprios donos estejam mais atentos à saúde bucal de seus pets. “As pessoas não olham a boca de seus animais, e quando percebem algo, a doença já está muito avançada”.

Os especialistas também concordam que é preciso conscientizar a população quanto à saúde bucal e citam como exemplo as ações da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária, da qual o dr. Marco é vice-presidente. No mês de setembro, a entidade promoverá a “4ª Campanha Nacional de Saúde Oral para Cães e Gatos”, para conscientizar médicos veterinários e seus clientes da importância dos cuidados com a saúde bucal.

Aplicações de implantes dentários
Segundo o dr. Hebert, os implantes podem ser indicados tanto na ausência de dentes, ou quando um dente não se forma, bem como para repor a perda natural de dentes. Ainda segundo o especialista existem vários modelos de implantes no mercado, que variam em seu formato, comprimento, tipo de rosca e tipo de material. Só vale ressaltar que os "implantes são desenvolvidos para humanos, consequentemente, existem limitações e desafios para utilizá-los nos animais”.

E dentre os problemas bucais que mais acometem os pets, e que podem ocasionar a necessidade de implantes dentários, está a doença periodontal, mais conhecida como tártaro, como explica o dr. Roberto Fecchio, especialista em odontologia do Hospital Veterinário Sena Madureira. "A doença é caracterizada pelo acúmulo de placa bacteriana e cálculo dentário, podendo causar a perda das estruturas de proteção e sustentação dentária". Ele comenta ainda que em casos mais graves, o problema pode comprometer outros órgãos, tais como coração, rins, fígado e articulações, devido às bactérias provenientes da boca.

Tipos de implantes
O dr. Marco explica que o implante é um parafuso que se encaixa no osso, sobre ele ou no pino onde se coloca a prótese. Vale lembrar que, felizmente, o dente “falso” é igual a um natural, tanto na forma quanto na coloração. O veterinário afirma ainda que os mais comuns são as próteses de titânio, que se integram naturalmente ao osso de uma maneira muito firme.

Já a recuperação da cirurgia é bastante tranquila. “Em geral, eles comem no mesmo dia”, diz o dr. Hebert. No entanto, dar ossos ou alimentos duros para o animal logo após o procedimento não são aconselhados.

Bjao
Ale

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Papagaio boca suja ofende sua vizinhança

Charlie ficou preso em uma árvore depois de uma rajada de vento e a primeira coisa que fez ao descer foi xingar as pessoas ao redor


Depois de ser salvo, Charlie soltou um palavrão em alto e bom som
Crédito: Reprodução/ Mirror

Os papagaios são famosos por sua habilidade para memorizar e repetir uma centena de frases. Prova disso foi o esperto Benji, que ganhou destaque na imprensa após mostrar-se um verdadeiro torcedor da seleção inglesa de futebol. Não tão engraçadinho como Benji, Charlie, um papagaio cinzento africano, também provou que sabe falar, mas de uma maneira nada educada. Depois do sacrifício de algumas pessoas para salvá-lo, a ave retribuiu o favor com um sujo palavrão.

O infortúnio do papagaio “bico sujo” começou quando ele estava no jardim com sua dona, Melissa Todd, e seu marido, Steve Holt, que moram em Manchester, Inglaterra. Ele, que não podia voar, pois suas penas haviam sido cortadas, foi surpreendido por uma rajada de vento que o fez levantar voo. O casal passou um dia e meio procurando o pássaro, no entanto, não tiveram sucesso.

Já sem esperanças de reencontrá-lo, foi só quando Melissa saiu do trabalho que ouviu Charlie gritando de uma árvore. “Ele estava lá no alto, como uma fada em uma árvore de Natal”, disse ela ao tabloide britânico Metro. Segundo a dona, a ave estava sendo atacada por pássaros maiores, e cerca de 30 pessoas se reuniram com cobertores e varas com o objetivo de salvá-lo, mas não conseguiram fazê-lo descer.

Foi então que Melissa avistou uma van com um elevador acoplado, e persuadiu o dono do veículo, Warren Hutchinson, a ajudar. “Nós fomos tão sortudos”, disse Melissa. “Ele [Hutchinson] não cobrou nada. Nós devemos tudo a ele, pois Charlie é um astro absoluto”. Segundo a publicação, a ave é um verdadeiro fenômeno no YouTube e ainda participou da gravação de um programa do canal britânico Sky1, que vai ao ar no próximo dia 14 de julho.

Curiosamente, depois do susto, a primeira coisa que o papagaio disse ao descer foi seu palavrão favorito, para o espanto das pessoas ao seu redor.

Acupuntura se populariza como tratamento para pets


Tratamento com agulhas é utilizado para a cura de diversas doenças
Crédito: Flickr/ CC - zivpu

Após o sucesso de tratamentos com massoterapia, os bichinhos agora têm outra opção para cuidar da saúde. Trata-se da acupuntura, uma técnica ancestral, conhecida como uma das práticas de cura mais antigas do mundo.

A prática envolve minúsculas agulhas que estimulam pontos determinados do corpo, e podem curar desde alergias a problemas intestinais. De uns tempos para cá, segundo o site Waff.com, a técnica milenar também está ganhando popularidade na manutenção da saúde dos amigos de quatro patas.

Brownie, um cãozinho de 13 anos, já não acha estranho se submeter às agulhas do Hospital Veterinário Governors Choice, em Tenesse Valley, nos EUA. De acordo com a publicação, o bichinho desenvolveu artrite ao longo dos anos e tomou vários medicamentos para aliviar a dor. “Basicamente, ele ainda estava com dor. Os remédios não estavam ajudando muito. E eu não quero mais medicá-lo, porque isso pode afetar seu fígado”, explicou Shirley Thaler, dona do cãozinho.

Quando a medicação ocidental não parecia fazer efeito, Shirley optou pela prática oriental da acupuntura, com a ajuda do veterinário Delia Harman. Segundo o médico, as agulhas são inseridas em diversos pontos do corpo com o objetivo de corrigir o que é chamado de Qi. “Com a dor, a energia do Qi se estagna e podemos ajudar para que ela possa fluir livremente”, explicou o dr. Harman.

Embora a acupuntura em animais possa ser uma prática nova no Tenesse Valley, ao redor do mundo ela já é uma velha conhecida, tratando de tudo, desde problemas respiratórios a doenças mais comuns como resfriados. Como qualquer outro tratamento, a cura não é garantida, mas é uma alternativa menos prejudicial para ajudar os pets voltarem à ação.

Ainda de acordo com o site, desde o início do tratamento de Brownie, há um ano, essas pequenas agulhas têm feito uma grande diferença. “Quando era mais novo, ele fazia um monte de truques, mas com a doença, havia ficado difícil para executá-los. Mas agora, ele já consegue fazer os truques novamente”, finalizou a dona, esperançosa.

Crédito -Pet Mag

Ale

Bom dia


Parabns Holanda!!!
O Brasil só perde para time BOM!! rs...

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Entidades de defesa dos animais protestam contra "encerro" na Espanha

Pamplona - Pelo 9º ano consecutivo ativistas que lutam pela defesa dos touros, como a Peta (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) e AnimasNaturalis protestaram em Pamplona pelo tratamento que recebem os touros nos encerros e nas corridas das festas de São Firmino. Durante uma hora, 90 pessoas representaram com seus corpos no chão da praça em frente da Prefeitura a imagem de um touro ensanguentado. Pintados de preto para simular o corpo do animal e de vermelho para representar os ferimentos que os touros sofrem durante a cerimônia, os ativistas da Peta e AnimaNaturalis denunciaram com cartazes o que Pamplona é durante os Festa de São Firmino "sangue, tortura e morte". Uma grande faixa pedia a "abolição" das festividades e em outros era possível ler "Basta. Não às corridas de touros"
Crédito - Folha

.Todo tipo de sofrimento, dor, maus tratos... não podem mas fazer parte de tradições. Tradição é alegria, é pra reunir pessoas para o bem!!! Ale

Dachshund luta pelo título de cão mergulhador

Para realizar os mergulhos, Boniface usa um traje especial e ganha salsichas como incentivo e pagamento




Cãozinho tem traje especial para mergulhar em águas profundas
Crédito: Reprodução/Mail Online



Um grupo de mergulhadores russos tem um novo recruta, mas o que diferencia esse integrante, no entanto, é o seu tamanho diminuto. Ele é pequeno, peludinho e tem quatro patas! Sim, trata-se de um cachorrinho da raça Dachshund o novo membro da equipe.

Segundo o site do jornal Daily Mail, o “cão marítimo” mergulha com seu proprietário em um traje projetado especialmente para ele, e também uma máscara respiratória. Sergei Gorbunov é mergulhador profissional e foi também o responsável por treinar Boniface para a função.

Em entrevista à publicação, Gorbunov diz que sempre que ia mergulhar sem Boniface, o cão ficava chateado, então decidiu resolver o problema levando-o junto. Coube a uma empresa sul-coreana fazer o traje, e agora, os corajosos mergulhadores estão aptos para passar horas sob as ondas perto de Vladivostok, na Rússia.


Mergulhadores preparam Boniface para um mergulho teste na piscina
Crédito: Reprodução/Mail Online

A roupa vem acoplada com tanque de oxigênio e máscara de plexiglas, um material que resiste a altas pressões. Boniface, até agora, vestiu a roupa em uma série de testes em piscinas de águas profundas, com um pouco de incentivo de salsichas dadas por seu dono.

Gorbunov, que é diretor de mergulho do Vladivostok Maritime College, disse que seu cãozinho sentiu-se confortável com o mergulho. “Nós achamos que a experiência é um grande sucesso, Boniface se sentiu confortável com a água, mas talvez, seja só porque ele se alimenta de salsichas, antes e depois dos mergulhos”.

De acordo com o site, Sergei disse também que Boniface estará pronto, em breve, para mergulho em águas abertas com a equipe, em profundidade de até 45 metros, que é a distância máxima para mergulhadores humanos.

Muito bom rs...
Mergulhar é muito bom não me surpreende o cãozinho ter gostado!!!
Bjao
Ale

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Aiaiaiaaaaaaaaaaaaai



Aguenta a Holandesada doida agora me enchendo os pacovas!!!
Ale

Cães de três patas participam de pesquisa de robótica

Cientistas alemães filmaram e estudaram o modo de andar de cães que tem apenas três patas para desenvolver novos robôs. Os pesquisadores da Universidade de Jena, na Alemanha, filmaram os cães em vários ângulos, e com câmeras de alta velocidade, enquanto eles caminhavam em esteiras, para descobrir como os cães compensam a falta de uma das patas. Com isso, eles esperam desenvolver robôs que consigam não apenas caminhar, mas também se adaptar como os cães no caso de perda de um dos membros. Todos os cães que participaram da pesquisa já tinham perdido uma pata, da frente ou de trás, devido a acidentes ou ferimentos. Enquanto eram filmados com câmeras de alta velocidade e infravermelhas, os cientistas fixaram pontos reflexivos no pelo dos cães, o que permitiu analisar os movimentos de partes diferentes do corpo do animal. Inspiração "No final do projeto, espero que tenhamos alguns robôs que serão bem mais eficientes em ambientes desconhecidos", disse Martin Gross, da Universidade de Jena, que liderou o estudo, à BBC. "Algo pode acontecer com os robôs e eles podem perder um membro." Gross afirma que se inspirou no cão de estimação de seu irmão, que tem apenas três patas, para usar os animais em sua pesquisa de biomecânica. "O cão com apenas três patas é ainda mais rápido do que todos os outros cães dele", afirmou. O estudo foi apresentado na Reunião Anual da Sociedade de Biologia Experimental, em Praga.
Veja video -sabdo no www.alltv.com.br
bjao
Ale

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Elefante ajuda seu tratador a empurrar jipe quebrado



Quando o jipe do tratador Lawrence Bates, do West Midland Safari Park (Inglaterra), quebrou, o que ele menos esperava era receber ajuda de um elefante africano. Five, uma fêmea de 18 anos, correu para empurrar o carro. Ela também ajudou Bates a abrir o capô do carro e ainda arrumou tempo para lavar a lama da lataria.

É o que diz Bates. Segundo ele, em outra ocasião, o jipe havia quebrado e a equipe do parque havia empurrado o veículo, lavado a lama e aberto o capô, para ver o que havia de errado com o motor. Five assistiu e, pelo visto, parece ter guardado tudo na memória.

Será que o animal aprendeu tudo isso só de olhar a ação dos homens? Ou será que Five recebeu um curso intensivo de mecânico? Daqui a pouco ela vai trocar pneu (e chamar o macaco lá na selva para ajudar?).

Crédito - Época
Ale

A vida não é medida pelo número de respiração que damos, mas sim pelos momentos que nos fazem prender a respiração.

Mulher despacha gato pela caixa do correio

Um gato foi encontrado numa caixa do correio da cidade de Linton, no estado de Indiana (EUA). O animal foi deixado por sua dona.

Breanna Russell, de 19 anos, foi denunciada por testemunhas, que viram o momento em que ela empurrou o felino pela abertura da caixa do correio.

A polícia e um carteiro acharam o animal dentro do local e contaram ao canal WTNH que Zippy deu sorte, pois não sobreviveria ao calor, sem água e comida.
Breanna disse à polícia que só queria encontrar um novo dono para o animal. Antes de deixar Zippy na caixa de correio, a jovem tentou doar a gato para os pedestres na porta de um supermercado.
Ela pode responder por crime contra os animais. Já Zippy foi adotado por um fazendeiro.

Crédito - Meio Norte

Ale

Após dois anos desaparecida, tartaruga é encontrada a 2,5 km de sua casa


Uma tartaruga teve sua fuga interrompida após escapar há quase dois anos da casa de seus donos. Lottie foi encontrada a uma distância de quase 2,5 km de seu lar.

O réptil, que foi dado a Maddie Tibble como presente de aniversário de nove anos, fugiu pelo quintal dois dias depois de ter sido acolhida pela família. Na época, Maddie ficou profundamente chateada, mas aceitou que a "natureza é sabia" e que talvez jamais fosse encontrar a pequena criatura.

Mas, surpreendentemente, Lottie foi vista caminhando lentamente por uma rua 22 meses após seu desaparecimento. Nesse período todo, a tartaruga foi capaz de caminhar exatos 2,4 mil metros e sobreviver a um dos invernos mais severos dos últimos tempos.

O animal foi entregue para os veterinários locais em Grays, Essex, na Inglaterra. Posteriormente, através de um chip de identificação, a família de Maddie foi avisada de que o réptil tinha sido encontrado.

"Não acreditei que fosse ela", disse Maddie, segundo o Daily Mail. "Estou contente por ela voltar para casa", explica a garota, que em breve vai completar 11 anos

Crédito -Uirgula

Ale

Abaixo-assinado

Abaixo-assinado ao Governador do Estado de São Paulo para a criação de delegacias de proteção animal na capital

Por favor participem, é super fácil.
www.cão.com.br

Conto com vcs.
Bjao
Ale

Dicas pra quem quer doar animais

PARA QUEM VAI DOAR

Prepare o animal. Ele deve estar saudável e ser vacinado, vermifugado e castrado.
Tente encontrar um conhecido interessado em adotar o bicho. É sempre mais seguro encaminhar um animal para alguém de confiança.
Se for doar para um desconhecido, peça telefone, endereço, cópia do RG e comprovante de residência de quem vai adotar. Visite o local antes de doar.
Seja honesto: diga a verdade sobre a idade, procedência, histórico de saúde, características de comportamento e outras informações referentes ao animal.
Faça um termo de compromisso e posse responsável. Deixe claros os direitos e obrigações de ambas as partes e garanta que o adotante se prontifique a devolver o animal em caso de maus-tratos ou caso o mesmo não se adapte ao novo lar. Garanta com isso que o animal será bem tratado pelo adotante e que o doador assuma as responsabilidades caso haja algum problema pré-existente no animal.
Se o interessado quiser buscar o animal, não fornecer o endereço e não permitir que você veja o local onde ele vai ficar, NÃO DOE.
Certifique-se de que seu bicho não cairá nas mãos de criadores que confinam os animais em canis pequenos e sujos e os descartam quando não podem mais procriar.

Bjão
Ale

OAB aciona justiça estadual contra a “Lei da Pesca” do MS

Pedidos de inconstitucionalidade feitos por deputados estudam é aceito pelo órgão, que vê lei infringir artigos da Constituição Federal
Por: Lielson Tiozzo

Publicado em: 06/2010



A Ordem dos Advogados do Brasil do Mato Grosso do Sul (OAB-MS) garantiu que ingressará com Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra a lei estadual 3.886 mais conhecida como “Lei da Pesca”. A lei permite o uso de apetrechos antes não permitidos, como redes e anzóis de galho, para qualquer pescador munido de licença de pesca.

O pedido de inconstitucionalidade encaminhado pelos deputados estaduais Paulo Duarte (PT) e Paulo Corrêa (PR) no começo de maio foi analisado pela Comissão de Direito Ambiental da entidade e aprovado em reunião no último sábado, 26. Segundo a OAB-MS, a “Lei da Pesca” fere dispositivos ambientais previstos em leis federais e também da Constituição Federal.

Para o presidente da Comissão de Direito Ambiental, Abel Costa de Oliveira, “a lei em questionamento causou um grande clamor público por parte da sociedade sul-mato-grossense, tendo em vista as possibilidades de aumento dos danos ambientais ao estado e a gravidade que se avizinha com desrespeito ao meio ambiente”.

O presidente da OAB-MS, Leonardo Duarte a Adin, diz que lei deve ser ajuizada porque, além de afrontar o artigo 222 da Constituição Estadual, entra em conflito com outras leis federais.

“Existe a inobservância dos princípios da precaução e da prevenção, em matéria ambiental. Outro ponto que fundamenta a necessidade de uma representação contra o Estado é que essa nova lei viola o artigo 24 da Constituição Federal”, explica.

“O parecer mostra que a lei contém alguns equívocos que podem ser questionados judicialmente, principalmente em relação à forma como foi elaborada. Além disso, ela viola o princípio da primazia da vida, a partir do momento em que prioriza o fator econômico”, comenta Duarte a Adin.

Por meio de sua assessoria, o deputado Paulo Duarte comemorou a decisão da OAB-MS. “Essa lei prevê basicamente a possibilidade de utilização de todos os petrechos e insumos de pesca e permite que pessoas que não vivem da pesca exerçam irregularmente a atividade. Isso prejudica o verdadeiro pescador, que trabalha exclusivamente com a pesca”, afirma.

Crédito - Uol Bichos

Estou de a acordo com o deputado, pricipalmente porq acho que pesca como esporte é um absurdo.
A grande maioria dos peixes pescado e solto acabam morrendo devido ao ferimento.
VIVA A VIDA!!!
Bjao
Ale

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Cavalos e seus disfarces

Há quem prefira como pet um robusto equino. E para mantê-lo sempre bonito, além dos cuidados com sua saúde, muitos também investem em fantasias













Cachorro volta para casa depois de 5 anos

Dono perdeu Jack quando foi à Irlanda, e graças ao microchip, o cãozinho foi encontrado na Inglaterra


Agora, os dois cachorrinhos atendem pelo mesmo nome
Crédito: Reprodução / Daily Mail

Volta e meia, sempre há um cachorrinho que se perde de seu dono. Em um caso recente, um bichinho só retornou para casa depois de quatro anos. Mas outro totó “superou o feito”, e conseguiu voltar para seu lar depois de incríveis cinco anos, para a felicidade de seu dono.

Quando o amado Jack Russell do inglês Michael Neary desapareceu há cinco anos, durante uma visita à Irlanda, o dono ficou desconsolado. Depois de um ano, o vazio em sua vida foi tão grande que apenas outro cachorro poderia preenchê-lo.

Segundo o jornal Daily Mail, foi então que o jardineiro de Morpeth, no condado de Northumberland, decidiu comprar um dos irmãos de seu cãozinho perdido, depois de mais uma ninhada dos mesmos pais, e o batizou de Jack, nome igual ao do outro cachorro. Na semana passada, no entanto, ele ficou surpreso quando recebeu uma ligação dizendo que Jack estava vivo e passando bem, em um abrigo de animais na Inglaterra, no condado de Cambridgeshire.

O dono do cachorrinho conseguiu reencontrá-lo graças à equipe do abrigo Wood Green, que descobriu que Jack estava microchipado com o número do telefone de Neary e seu endereço.

O incidente também surpreendeu os funcionários do abrigo. “A história de Jack impressionou a todos. Nós tivemos alguns casos em que demoraram vários meses para que um dono se reunisse ao seu cachorro, mas nunca algo como cinco anos”, disse um porta-voz da organização.

Neary ficou impressionado e muito feliz por seu cãozinho ter sido encontrado depois de tanto tempo. “Meu filho James foi buscá-lo imediatamente, e tudo parecia um pouco irreal, até que vi Jack novamente”, contou à publicação. “No começo, ele ficou desconfiado, mas depois de algum tempo começou a olhar para mim com a cabeça levantada, e parecia pensar: ‘eu conheço esse cara’”.

Enquanto isso, o outro Jack não faz ideia do que está acontecendo. “Quando eu chamo Jack, ambos vêm correndo abanando o rabo, e eu não sei como vou diferenciar um do outro agora. Eu poderia começar a chamá-los de primeiro Jack e o segundo Jack".

Crédito - Uol Bichos

Muito bom o reencontro, pra quem vive me perguntando para que colocar chip em Animais de estimação, acho esse um ótimo motivo.
Em alguns países os animais de rua também carregam um Chip para controle de natalidade e até mesmo de abandono.
Lindo dia a todos!!!
Ale

terça-feira, 29 de junho de 2010

Ratos surfistas participam de competição

Cabe ao australiano Shane Wilmott treinar os roedores, que dão um verdadeiro show nas praias Camundongo dá show surfando na Austrália Crédito: Reprodução / Mail Online Ser capaz de equilibrar-se sobre uma prancha de surfe é um feito para se orgulhar, ainda mais se você tiver quatro patas e for minúsculo como um ratinho. De acordo com o site do jornal Daily Mail, os roedores são os novos reis do surfe, com direito até a pranchas especialmente produzidas para o tamanho deles. Os machos de 8 meses, Rocket, Peanut, Skidmark e Banzai, aparentemente, aprenderam todas as habilidades necessárias para fazer as manobras no mar. Foi Shane Wilmott, 39 anos, que enxergou o talento dos roedores. Ele faz réplicas em miniatura de pranchas de surfe e ensina sua trupe como dominá-las. Wilmott, que cria os ratos em sua casa, em Gold Coast, Austrália, disse: “Ao contrário da crença popular, ratos são incríveis nadadores”. Segundo o site da publicação, muitas pessoas perguntam a Shane se ele não se preocupa com o fato de tubarões ou peixes comerem seus ratinhos, no entanto, ele demonstra outra preocupação. “Gaivotas são a ameaça mais real, eu tenho que ficar por perto para ter a certeza de que meus rapazes estão seguros”. Para Wilmott, a segurança de seus camundongos está em primeiro lugar. “Eu fiz uma promessa a mim mesmo que, se um dos meus ratos se machucar, eu paro. Só faço isso porque acho que eles estão seguros. Esses bichinhos são mais que animais de estimação, são meus amigos”. Shane ensinou seu primeiro rato a surfar quando era ainda um adolescente, e hoje treina seus roedores em casa, antes de levá-los para uma aventura real. “No início eu os ensino no banho, para que possam se acostumar com seus equipamentos personalizados”.


Shane Wilmott acompanha de perto as manobras de um de seus ratos Crédito: Reprodução / Mail Online



Após essa fase, Shane leva os camundongos até a piscina, em seu quintal, e os reboca na água usando um barco de controle remoto. Segundo ele, isso deixa os ratinhos capazes de encarar pequenas ondas na praia. Frequentemente, multidões se reúnem para ver os surfistas minúsculos. “As pessoas veem as pranchas pequenas, mas não percebem que são ratinhos reais surfando até olharem de perto. Eles fazem as pessoas sorrirem”, finalizou Shane.

Muito legal rs...
Bjao Ale

Mimar demais os pets pode esconder problemas de relacionamento


Muitos casais jovens preferem ter animais de estimação a filhos

HELOÍSA NORONHA


O afeto por animais faz parte da vida da maioria das pessoas. Quem tem ou já teve um bichinho de estimação muito querido sabe o real valor dessa experiência. Não é à toa que o livro “Marley e Eu”, de John Grogan, emocionou milhares de pessoas e virou best-seller com direito a uma adaptação de sucesso para o cinema. Animais de estimação, por sua vez, também se mostram afetuosos – principalmente os cachorros, os preferidos. Em geral, os pets correspondem à atenção a eles dedicada. Podem ser brincalhões, divertidos, graciosos, gostosos de afagar e abraçar, fiéis, protetores... Todas essas características tornam animais de estimação um alvo fácil de atenção e diversão, encorajando pessoas a desenvolverem um vínculo afetivo com eles. “Gostar de animais é natural e remonta a nossa ancestralidade. Porém, como qualquer tipo de relacionamento, é legal enquanto for equilibrado”, comenta o psiquiatra Guido Boabaid May, de Santa Catarina.

Tratar pets como pessoas pode ser inadequado quando implica prejuízos às atividades do dono, aos seus relacionamentos familiares e sociais, ao seu lazer ou ao seu bolso. “Embora alguns pets ‘pareçam humanos’, como costumam dizer seus donos, eles não são. E as necessidades de humanos devem ter prioridade sobre a necessidade de seus pets”, destaca a psicóloga Ana Maria M. Serra, diretora-fundadora do Instituto de Terapia Cognitiva (ITC) e presidente-honorária da Associação Brasileira de Psicoterapia Cognitiva (ABPC). Ela argumenta, ainda, que sob a perspectiva dos animais tampouco é saudável tratá-los como humanos. “O animal, por mais ‘humano’ que possa parecer, tem necessidades próprias de liberdade, independência e atividade física. Ele necessita ter espaço para exercer os instintos com os quais foi naturalmente dotado, como farejar, vigiar, latir (no caso dos cães) e brincar com outros pets como forma de comunicação e de expressão emocional. Manter pets vestidos, perfumados, dentro de ambientes fechados e exigir deles um comportamento quase humano poderá prejudicar sua existência, seu desenvolvimento e sua saúde física e emocional”, salienta.

Julio Peres, psicólogo clínico e doutor em neurociências e comportamento pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), sustenta que a relação com um animal de estimação nunca será uma relação de igualdade como a que se pode estabelecer entre os seres humanos. “O dono exerce poder sobre o animal e está hierarquicamente acima dele. O animal, por sua vez, tende a absorver as regras que o dono, que o alimenta, impõe. O apego e o mimo demasiados podem prejudicar o animal e encobrir deficiências no relacionamento interpessoal dos donos, que poderiam tratar suas dificuldades entre os humanos, assim como com psicoterapia. O animal também sofre assumindo comportamentos neuróticos e ansiosos transmitidos pelo dono em sua relação patológica”, afirma.
Exageros
Muitas pessoas acabam extrapolando nos cuidados e zelos. “Há pessoas que nunca colocam o animal no chão e os carregam no colo direto. Há pessoas que se alimentam com o animal em cima da mesa comendo até no mesmo prato, há pessoas que não fazem absolutamente nenhuma atividade social para não se desgrudarem do seu animal”, exemplifica Carla Alice Berl, diretora do Hospital Veterinário Pet Care, de São Paulo.

É o caso da universitária Sofia P. Valle, de 25 anos, que dorme ao lado de sua poodle, Lady Di, e até a deixa beliscar em seu prato. “Muita gente critica minhas manias, mas nem ligo. Adoro a minha cachorrinha e faço tudo por ela mesmo. Confesso que, às vezes, sou mais atenciosa com ela do que com gente da minha família”, diz. A empresária Vania Cristina Mendes, de 37 anos, já deixou de sair e até de viajar nos fins de semana com pena de deixar seus gatos com algum parente ou em um hotel especial. “Assumo que fico com saudade deles”, revela.

Para Carla Berl, quem tem esse tipo de atitude não poupa o bichinho da solidão, e sim o prejudica. “O animal fica mal acostumado, literalmente falando. Quando o dono nunca se ausentou e uma hora o faz, abre espaço para o surgimento de um problema chamado síndrome da ausência do dono. O animal toma várias atitudes psicóticas e sofre. O ideal é sempre deixá-lo um pouco sozinho. E conviver com outras pessoas faz bem a ele, que se acostuma naturalmente a estas condições”, explica.

Substituição perigosa
Todos desenvolvemos, desde muito cedo, crenças a respeito do quanto somos amados por outros, ou o quanto acreditamos que reunimos, ou não, os fatores que nos levam a ser amados por outros. “Em termos cognitivos, dizemos que todos desenvolvem o que chamamos de um esquema de estima, ou, em alguns casos, um esquema de não estima”, explica a psicóloga Ana Maria. “No caso de pessoas que chegam à adolescência ou à idade adulta com um esquema de não estima, ou seja, acreditando que não são amadas, estas podem se distanciar de tentativas de vinculação a outras pessoas e, como estratégia compensatória, supervalorizam a relação com animais. Há ainda pessoas que, com base em suposto déficit em habilidades sociais, podem considerar as relações afetivas ou sociais como exageradamente demandantes e ameaçadoras, e se sentirem vulneráveis frente a elas. Nesse caso, poderão evitar ou se esquivar de aproximações afetivas ou sociais com outras pessoas, e dedicar-se exageradamente aos seus animais”, completa a especialista.

Isso é comum principalmente nos centros urbanos, segundo o psicólogo da USP Julio Peres. A maior parte dos casos inclui mulheres que procuram substituir a não-maternidade ou um companheiro. O amor incondicional de um animal de estimação pode diminuir o sofrimento do abandono, do desamparo e do isolamento, especialmente em pessoas mais sensíveis que sofreram traumas ou decepções com relacionamentos afetivos. Contudo, mesmo aplacando a dor, o relacionamento com o animal não resolve o sofrimento ou o trauma sofrido pelo dono. “Por exemplo, uma senhora que vivia com cinco gatos e dois cachorros me procurou para psicoterapia por não conseguir se relacionar com as pessoas, generalizadas como ‘agentes ameaçadores’. Essa senhora se lembrou de que os castigos severos de seu padrasto deram início ao seu forte vínculo com os animais. Ao se libertar dos traumas de infância, os relacionamentos saudáveis com as pessoas passaram a ocorrer”, conta Julio.

Filhos x pets
Vale ressaltar que apesar de pets representarem uma companhia importante e um fator de equilíbrio para crianças, adultos e idosos (neste caso, ajudando até a prevenir doenças como o mal de Alzheimer e outras formas de demência), eles não podem nem devem substituir a companhia de pessoas. Também é comum, hoje em dia, ver casais jovens que preferem manter animais de estimação em casa (cachorros, na maior parte dos casos) a ter filhos. Uma justificativa normal é o fato de que as responsabilidades associadas à posse de um bichinho são muito menos numerosas e graves do que aquelas que envolvem a chegada e a criação de um filho. “Cada caso é um caso, mas, via de regra, um animalzinho jamais conseguirá substituir, de modo adequado, a vivência de ter um filho”, alerta o psiquiatra Guido Boabaid May, de Santa Catarina.
O tema divide opiniões. Carla Alice Berl, do Hospital Veterinário Pet Care, considera a decisão “normal, pois filho, hoje em dia, acarreta uma série de compromissos como tempo, dinheiro e perda da liberdade. O animal faz bem este papel e é mais flexível.” “Por outro lado, a tentativa de transformar o animal num bebê pode encobrir receios quanto à capacidade de criar, educar e se relacionar com uma criança, que se diferencia demasiadamente e nunca será substituída pela relação com um animal de estimação”, pondera Julio Peres.

Essa tentativa de transformar pets em crianças explica, em parte, o fato de que o mercado de produtos para pets não para de crescer e de inventar novidades: máscaras para cílios e perfumes para cães e gatos, calmantes, florais de Bach, acessórios fashion, homeopatia, acupuntura etc. Esse boom de artigos pet é tendência no Brasil e nos Estados Unidos e menos comum na Europa, onde o direito dos animais é amplamente difundido. O exagero na procura de tratamentos, para atender a necessidades questionáveis e na compra de objetos dispensáveis reflete, também, a tendência consumista de nossa cultura. “Isso pode envolver também a dedicação exagerada aos pets que, entre outros fatores, sugere a satisfação de uma carência afetiva por donos que não se sentem amados ou valorizados por outras pessoas”, reforça Ana Maria.

Comportamento exagerado
1TosaUso excessivo dos serviços de grooming (tosa) pode prejudicar a saúde dos bichinhos;

2Roupas e acessóriosVestir os pets com roupas que tolhem sua liberdade podem causar lesões e afecções dermatológicas e de pelagem. Cosméticos, perfumes e banhos excessivos podem prejudicar o faro do animal;

3Pet shopVisitas frequentes aos pet shops podem representar um risco de contaminação

4DependênciaDependência em relação aos pets, em prejuízo de outras atividades de lazer;

5Isolamento socialPreferência pela companhia dos pets em detrimento das relações
familiares e sociais, o que pode facilitar o isolamento social;

Necessidades fundamentais
1 Afeto e atenção
2 Cuidados simplificados e contato com seu dono
3 Alimentação adequada e procedimentos de higiene constantes
4 Visitas ao veterinário e vacinação periódica
5 Espaço adequado às necessidades físicas e emocionais


Crédito - Uol Bichos

Muito boa a reportagem da Heloisa Noronha, muitos animais acabam prejudicados pelo excesso de seus donos quanto as expectativas criadas em relação a eles.
Precisamos respeitar mais os animais como eles são e suas necessidades isso sim é amor.
Bjao
Ale

quinta-feira, 24 de junho de 2010

'Plano de Paz' entre nações baleeiras e oponentes à caça fracassa

Discussões entre nações baleeiras e oponentes à caça para chegar a um acordo durante uma reunião anual da Comissão Internacional de Caça a Baleias (IWC, na sigla em inglês) fracassaram.

Após dois dias de negociações privadas em Agadir, no Marrocos, delegados participantes anunciaram que não foram capazes de chegar a um acordo em relação às questões mais importantes.

O acordo teria colocado atividades baleeiras na Islândia, Japão e Noruega sob supervisão internacional durante dez anos.

As negociações para o "plano de paz" vinham acontecendo há dois anos. Agora, os participantes preveem que haja um período de esfriamento que deve durar um ano.

"Após dois dias de negociações (...) parece que nosso processo chegou a um impasse", disse uma representante dos Estados Unidos, Monica Medina.

Os Estados Unidos estão entre as nações fazendo pressão para que haja um acordo. Segundo Medina, o fracasso das discussões não é culpa de nenhum país em particular.

Responsabilidade
Outros delegados, no entanto, tentaram - ainda que de forma moderada - responsabilizar seus oponentes pelo fracasso do plano.

A representante da Argentina, Susana Ruiz Cerutti, disse que um esboço da proposta que circulava entre governos há dois meses não atendia às necessidades de países latino-americanos.

"Ela legitima a pesca científica no Oceano do Sul (pelo Japão) e não reduz substancialmente os números", disse Cerutti.

A diferença que existe entre esta visão e a posição das nações baleeiras foi exemplificada pela representante do Ministério da Agricultura e Pesca do Japão, Yasue Funayama.

Para Funayama, o objetivo das negociações era "devolver a IWC sua função de organização administradora de recursos".

Nações contrárias à pesca de baleias querem que a IWC se transforme em uma organização voltada à conservação.

A proposta "continha elementos que o Japão teria extrema dificuldade em aceitar", disse Funayama.

Nos bastidores, fontes japonesas disseram que, para elas, o principal problema era a exigência, pela União Europeia e países latino-americanos, de que o programa de pesca na Antártida fosse suspenso dentro de um prazo definido de tempo.

Do ponto de vista do Japão, concordar em reduzir sua cota de 935 baleias caçadas por ano hoje para 200 daqui a dez anos representava um passo significativo, uma oferta que deveria ter sido aceitável para seus oponentes. Mais negociações, possivelmente sobre uma redução gradual até a suspensão total, aconteceriam mais adiante.

Geoffrey Palmer, ex-primeiro-ministro da Nova Zelândia e atual comissário para atividades baleeiras, intimamente envolvido nas "negociações de paz" disse que o "Japão mostrou flexibilidade real e vontade real de chegar a um acordo".

"Mas estamos em uma situação hoje em que as distâncias não podem ser eliminadas".

"E a razão para isso é óbvia: falta vontade política de vencer essas distâncias para que se chegue a uma solução de meio-termo".

Incerteza
O caminho agora é incerto. Muitos delegados estão se perguntando qual seria a vantagem de se deixar o assunto em aberto durante mais um ano. Se o acordo é impossível, então talvez seja melhor encarar os fatos agora, argumentam.

Optar por mais tempo "questionaria a credibilidade da comissão", disse Rami Parmentier, consultor político do Pew Environment Group, uma das entidades que vêm apoiando a ideia de uma solução de meio-termo.

Mas talvez haja também uma relutância em abandonar o tom construtivo dos últimos dois anos e arriscar um retorno ao clima de conflito que caracterizou a IWC no passado.

Outros grupos contrários à pesca da baleia, no entanto, ficaram satisfeitos por seus governos não terem aceito a proposta, já que, para eles, ela teria legitimado as atividades baleeiras da Islândia, Japão e Noruega.

"Se esse acordo tivesse vivido, teria vivido na vergonha", disse Patrick Ramage, chefe do programa de baleias do International Fund for Animal Welfare (IFAW).

"Talvez haja um período de resfriamento na IWC, mas nesse período, os baleeiros estarão ocupados, caçando suas presas", afirmou.
rédito - BBC Brasil

Não vamos desistir, vamos continuar lutando!!!
Bjao
Ale

terça-feira, 22 de junho de 2010

Mulher deixa mansão para seu Chihuahua

Em seu testamento, americana também deixou mais 2 milhões de libras para seus outros dois cachorros

Americana deu seu próprio Cadilac dourado para que a cadela fosse transportada
Crédito: Reprodução/ Daily Mail

O amor de alguns donos por seus animais pode atingir um nível incalculável. No caso da americana Gail Posner, o valor estimado de seu carinho pelos peludos está em torno de oito milhões de libras. Isso porque a excêntrica milionária resolveu deixar sua mansão, em Miami, estimada em 6 milhões, para Conchita, sua Chihuahua, e outros dois milhões para dois de seus cãezinhos.

De acordo com o site do jornal Daily Mail a mulher deixou também incríveis 17 milhões de libras para as suas empregadas e guarda-costas. A americana faleceu em março, aos 67 anos, mas deixou seu testamento por escrito indicando como gostaria que seu dinheiro fosse distribuído.

O surpreendente testamento, no entanto, está causando furor na família da americana. Isso porque o filho de Gail, Bret Carr, que ganhou módicas 650 mil libras, luta na justiça pela anulação do documento deixado pela mãe. Segundo a publicação, o filho defende que ela teria sido drogada e usado medicamentos muito fortes, o que teria abalado o seu julgamento.

Apesar das reclamações de Bret, o que parece é que a americana estava em seu juízo perfeito, ao julgar pelas extravagâncias que sua cadelinha Conchita sempre teve. A cadela frequentava regularmente spas caninos, tomava banho com diamantes e tem seu próprio carro “cama”, além de ostentar um colar Cartier no valor de 10 mil libras.


Conchita era tão mimada que foi presenteada com um colar de diamantes, da Cartier
Crédito: Reprodução/ Daily Mail


Além disso, Gail decidiu dar seu próprio Cadilac dourado para a cadela ser transportada semanalmente para o spa e manicure. Diante de tantos mimos, para muitos, não é surpresa nenhum a decisão de deixar parte de sua fortuna para Conchita.

E para quem queira saber de onde a americana arrumou tanto dinheiro para mimar seus bichinhos, o Daily Mail explica que Gail era filha de Victor Posner, famoso empresário e filantropo.

Créditos - Uol Bichos

Se tivesse doado a uma instituição estaria fazendo o bem de milhares de animais!!!
Ale

Cachorros são considerados impuros no Irã

Aiatolá iraniano desencorajou a população a adotar cães como animais de companhia.


Para quem gosta de ter um cãozinho como pet, ir para o Irã não é uma boa ideia. Isso porque um importante clérigo iraniano decretou que cachorros são “impuros” e não devem ser mantidos como animais de estimação. A declaração faz parte de um movimento que visa desencorajar a posse de cães no Estado islâmico, segundo o site Calgary Herald.

Na tradição islâmica, os cães são considerados impuros, mas, apesar de relativamente raros por lá, algumas pessoas os criam normalmente. Ao emitir um fatwa (decreto religioso), o aiatolá Naser Makarem Shirazi enviou uma clara mensagem de que essa tendência deve parar.

“A amizade com cachorros é uma imitação cega do Ocidente. Há muitas pessoas no Ocidente que amam seus cães mais do que suas esposas e filhos”, disse Shirazi ao periódico local Javan Daily.

Na lei islâmica, cães de guarda e pastores até são aceitos, mas os iranianos que levam seus cachorros para passear em parques públicos, ou os carregam em seus carros, podem acabar multados pela polícia.

O Alcorão não proíbe o contato com cachorros, disse o aiatolá, mas a tradição islâmica quer mostrar o contrário. “Temos muitos relatos de que no Islã os cães são impuros”, contra-atacou Shirazi.

Crédito - Pet Mag

Cada absurdo!!!
Impuros são eles que não acertam uma, só falam abobrinhas.
Acredito de Deus é amor acima de tudo, não poder amar um animal ou alguém não pode vir de Deus,e sim de uma pessoa MAU AMADA RRRRRRR que raiva!!!
Ale

Bom dia mais ou menos .

Oi Petnautas

Hoje acordei com muita preguiça de levantar, abri a janela e voltei pra cama depois de ver o tempo.
Detesto dias sem Sol.
Meu pai sempre falava que eu tinha clorofila nas veias em vez de sangue porq eu funciono melhor em dias de Sol rs.... (fotossíntese), eu acho que SÓ funciono em dias de Sol, mas o mundo não para e tenho bastante coisa pra fazer hoje então, borá tomar um café pra esquentar a alma, calçar as galochas pois pode ser que chova e ai já viu como fica SP né!?
Bom dia mais ou menos pra todo mundo!!!
Ale

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Gratidão Animal

A Doberman está grávida.
O bombeiro acaba de salvá-la de um incêndio em sua casa,a salvou e colocou no jardim,
e logo continuou sua luta contra o fogo.

Quando finalmente conseguiu apagar o fogo,
se sentou para tomar um pouco de ar e descansar.

Um fotógrafo do jornal Notícias da Carolina do Norte/EUA, notou que a cadela observava a distancia o bombeiro.

Viu a Doberman caminhar direto até o bombeiro e se perguntou o que ela vai fazer?.

Asim que levantou sua câmera, o animal chegou até o homem cansado que acabara de salvar a sua vida e de seus bebês.

O fotógrafo captou o momento exato em que a cadela beijou o bombeiro.



POUCOS DE NÓS HUMANOS, TEMOS O GESTO NOBRE DE AGRADECER A QUEM NOS FAZ O BEM. ESSA FOTO NOS MOSTRA QUE ATÉ AS OUTRAS ESPÉCIES ANIMAIS TEM O SENTIDO DA GRATIDÃO.
O NÃO AGRADECER A QUEM NOS FAZ O BEM, DEMONSTRA O QUANTO AINDA TEMOS QUE SOFRER PARA NOS TORNARMOS HUMANOS.

Lindo dia a todos
Ale

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Mishka, o cão falante, canta em seu aniversário

Cadela completou 8 anos comemorando seu sucesso no YouTube e no Twitter


Mishka tira uma casquinha de seu bolo de aniversário Crédito: Reprodução/ You Tube Como qualquer pai orgulhoso, Matthew Gardea lembra as primeiras palavras de sua filha, Mishka. Ela tinha apenas 4 meses de idade quando disse: “Eu te amo”. O que diferencia Mishka de outros “filhos” da sua idade é que ela é um Husky Siberiano. Recentemente, a cadela completou 8 anos e ganhou um bolo de aniversário para celebrar a data. E apesar da cadela estar longe da velhice, ela já realizou muita coisa em quase uma década de vida. O vídeo no You Tube no qual diz “eu te amo”, já tem mais de 17 milhões de acessos. “O que eu gosto depois de postar os vídeos é perceber que eles fazem muita gente feliz”, disse Gardea, ao PeoplePets.com. Se ela realmente fala - ou apenas uiva – seu público do ciberespaço parece não se importar. Ela tem mais de 1,8 mil seguidores em sua conta no Twitter, onde tuita sobre queijo e brincadeiras na praia com sua irmã, Moki. As duas são tão unidas, que para o seu grande dia, ela dividiu um bolo de aniversário em forma de osso com a irmã. Diante do talento de Mishka, há quem se pergunte como é possível que um cão fale. Nesse sentido, Gardea explica que não treina o animal, mas a magia só acontece quando ele começa a conversar com ela de bom humor. “As pessoas adoram tanto os seus animais que gostariam de estar mais perto deles - falar com eles”, disse. “Mas nem todos os cães tem essa capacidade, nem todo cão quer falar”, completou.



Hahaha que bonitinha!!!
Ale

Cão protege e guia cachorrinha cega, na Inglaterra

Por Giovanna Chinellato (da Redação)

Ellie e Leo (Foto: Paws Nation)

Esses dois cães são mais do que apenas melhores amigos, eles compartilham um laço raro.

Ellie, uma cavalier spaniel da Inglaterra, é quase completamente cega. Conforme relata o site Paw Nation, enquanto seu tutor e uma organização local pelos animais trabalham para arrecadar fundos para uma operação de restaurar a visão, um pastor alemão chamado Leo resolveu a questão com as próprias patas: ele está protegendo-a e guiando-a.

“Ellie tem catarata nos dois olhos e enxerga apenas vultos”, explica Jean Spencer, administrador da Rochdale’s Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals, numa entrevista ao Manchester Evening News. “Mas Leo, que é um cão grande, tornou-se seus olhos. É tocante vê-los junto. Ela segue-o pelos lugares e se aconchega nele.”

“Ellie fazia parte de uma ninhada resgatada de condições cruéis pela RSPCA”, disse Julie Lander, voluntária da RSPCA e tutora de Leo e Ellie. “Em razão de ter cataratas, os olhos de Ellie não conseguem se adaptar como deviam no escuro, devido a problemas musculares. Os filhotes não tinham luz ou forma de se aquecer. Senti-me muito tocada por ela quando chegou, sabendo que precisaria de uma casa muito especial. Mas eu também sabia que ela estaria bem com o Leo, já que ele simplesmente ama cãezinhos pequenos e cuida deles logo de cara”.

Lander continuou explicando como Leo, de quase 40kg, mantém sua nova amiga segura. “Levo-os para caminhar no parque e ele guia Ellie pelo lugar. Ele também é protetor e espanta os outros cães de perto”, Julie disse.

Crédito Anda notícas

Realmente muito comovente, a solidariedade animal é linda quem dera os humanos tivessem o mesmo espírito.
Ale